, , , , , , , , , ,

Dicas de Berlin - Parte II

22:34

Em Berlim fiz um roteiro de pontos turísticos para uma visita de 3 dias. Como me hospedei em Mitte, a primeira parada foi Portão de Brandemburgo (Brandenburger Tor ou Brandenburg Gate), que ficava a duas quadras do meu hotel. O portão foi erguido em 1791 e é um dos monumentos mais importantes da Alemanha e mais marcantes da história do século XX. O monumento se tornou um símbolo da separação das duas Alemanhas, fica do lado oeste da cidade, e após a queda do muro de Berlim, assumiu a posição de marco oficial da reunificação alemã.
Visando à proteção da cidade, em 1788, o rei Frederico Guilherme II, da Prússia, ordenou a reestrutução da cidade e a construção completa do portal. Naquela época, as vias expressas por debaixo do portal davam acesso direto do palácio aos jardins reais. E qualquer pessoa que não fosse membro da nobreza não podia utilizar as passagens internas, restritos às duas pistas externas abaixo do portal.
Uma curiosidade sobre a obra é que a quadriga (carro puxado por quatro cavalos), foi alvo durante as duas invasões que Berlim sofreu. A primeira na época de Napoleão, que retirou o objeto e levou para Paris; e a outra foi durante a Segunda Guerra, quando os nazitas viraram a estátua para o lado oriental da cidade.
Endereço: Pariser Platz, 10117.



Depois da visita ao Portão, fui conhecer o Reichstag onde funciona o Parlamento Alemão (Deutscher Bundestag). Estava muito ansiosa para conhecer o lugar, porque havia ouvido dizer que se tratava de um prédio magnífico com uma arquitetura diferenciada e vista panorâmica para a cidade. De fato, foi inclusive o meu ponto turístico preferido. Antes de tudo é preciso agendar o horário da visita pelo site. Fiquei muito impressionada com tudo, principalmente a organização das visitas, todas guiadas com fones de ouvido em vários idiomas. A vista é realmente privilegiada e o prédio é estonteante.
O parlamento alemão foi construído em 1894. Em 1933, o prédio foi incendiado e parou de ser utilizado para as reuniões dos parlamentares. Durante a Segunda Guerra, em 1945, o domo foi bombardeado e destruído pelos aliados. Depois da guerra, a capital da Alemanha foi transferida para Bonn e o prédio foi restaurado. Após a reunificação, e a volta da capital para Berlim, o prédio foi reinaugurado em 1999 como sede do parlamento. Desta vez o domo foi reconstruído com vidros e com espelhos internos, trazendo luz natural a sala do plenário, o que reduziu o consumo de energia elétrica do prédio.
Endereço: Platz der Republik 1 (estações de metrô: U Bundestag ou também S Brandenburger Tor).









Minha terceira parada foi o Memorial aos Judeus Mortos da Europa (Holocaust-Mahnmal), que inaugurado em 10 de maio de 2005. A visita foi bem emocionante, mas é uma parada que vale à pena. A obra foi feita para homenagear as vítimas judias do Holocausto e foi projetado pelo arquiteto Peter Eisenman e engenheiros do Buro Happold. Consiste de uma área de 19.000 metros quadrados. A obra é composta por 2.711 blocos de concreto que lembraam túmulos e uma curiosidade é que nenhum bloco é igual ao outro. Segundo Eisenman, a ideia era criar um ambiente que remetesse imediatamente à sensação de agonia e intranquilidade.
Endereço: Cora-Berliner-Straße 1, 10117.




Claro que, uma vez em Berlin, impossível não visitar o Muro de Berlin. Durante 28 anos o muro separou a Alemanha no período da Guerra Fria. O monumento foi construído em 1961 para separar as duas áreas da cidade: o setor capitalista e outro comunista. Uma parte do muro foi preservada, e é hoje símbolo de liberdade. Diversos artistas encherqam as paredes de ilustrações na chamada "East Side Gallery", um galeria ao ar livre que fica do lado leste do muro.
Endereço: Bernauer Str. 111, 13355.








A próxima parada foi Munique. Fiquei encantada! Aguardem o post!
beijos

Você também pode se interessar

1 comentários

  1. Dri, lindas suas fotos!
    Aproveita essa temporada aí. Saudades!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário!